Kamiya Yuu. O Mangaka brasileiro de ecchi que faz sucesso no Japão.


Você provavelmente é daqueles que não gosta muito de western manga brasileiro, e o máximo que deve ter lido foi um Holy Avenger por ele apresentar muito elementos de RPG.

Mas assim como muitos leitores do blog, você deve curtir um ecchi básico e deve gostar de um traço bem desenhado e erótico. Se você assistiu um anime chamado "Itsuka Tenma no Kuro Usagi" e gostou do ecchi e do traço, parabéns, você gostou de um trabalho feito por um brasileiro.

Thiago Lucas Furukawa (Kamiya Yuu) foi o primeiro brasileiro a fazer sucesso no Japão como Mangaka. Tudo começou quando ele foi visto na Comiket fazendo trabalhos amadores, a partir dai ele já estreou a sua primeira obra chamada de E.A.r.T.h que foi serializada em 2005 pela Dengeki Comic Gao! onde acabou em 2008.

Porem não acabou ai, no mesmo ano ele começou a serialização de outro manga o Greed Packet Unlimited e foi desenhista da light novel de Itsuka Tenma no Kuro Usagi onde a historia é feita por Kagami Takaya do mesmo que fez a light novel de Densetsu no Yuusha no Densetsu. Em 2011 o Itsuka Tenma no Kuro Usagi ganhou um anime, que não teve um "boom" tão grande mais conseguiu um jogo shotting game para o PSP.


Agora Kamiya Yuu está no seu projeto solo de light novel o "No Game No Life" que começou em 2012 e está fazendo sucesso no Japão, cujo o mesmo já vendeu 500 mil copias. Não acho estranho que futuramente essa light novel ganhe um anime, assim como foi em Itsuka Tenma no Kuro Usagi. A light novel de No Game No Life ganhou um manga em Janeiro deste ano, e o que posso dizer é que achei a historia interessante.

Como estou falando de um mangaka vou aproveitar e falar um pouco de suas obras. Primeiramente vou falar de No Game No Life por apresentar um estilo bem diferente da pegada das light novels e também por ser a obra que esta fazendo mais sucesso de Kamiya Yuu.

Eu li recentemente o manga dele, que no momento só tem dois capítulos e esta sendo serializada pela Comic Alive a mesma de Boku wa Tomodachi ga Sukunai. A historia fala sobre dois irmãos que são mestres em todo tipo de jogo, desde os MMORPGs ate jogo de Xadrez. Um dia eles são enviados a um mundo paralelo pelo deus dos jogos, onde nesse mundo tudo é decidido através de jogos, inclusive as guerras.


Os dois primeiros capítulos é bastante introdução, daria pra fazer um episodio de anime tranquilo com esses dois capítulos. Eu gostei do protagonista desse manga, ele é bem metódico e extrovertido, não sendo mais um cara de cabelo preto que vai a escolinha e fica vermelho quando vê a calcinha das mulheres.

Não tenho muito do que falar do manga, afinal ainda está no inicio. Outro manga que li dele foi o Greed Packet Unlimited, que infelizmente os gringos só traduziram ate o capitulo 4 do manga.

A historia do manga se passa na era atual, onde Casio e sua "irmãzinha" Nokia são caçadores de recompensa, eles lutam contra criaturas chamadas "phantasms" onde são monstros que aparecem na cidade.
O estilo de luta é através de magias invocadas pelo celular com o dinheiro que os personagens principais conseguem matando os monstros eles compram magias e com essas magias eles vão conseguindo ficar mais fortes.


Depois de destruírem a cidade e terem que pagar uma conta que chega a milhões eles são contratados por uma menina rica chamada Sony Ericssion onde ela convida para morar na sua mansão enquanto ela vai pesquisando os monstros novos que vão invadindo a cidade.

Falando um pouco sobre os personagens o Casio é um protagonista mais ao estilo rebelde que esta sempre pronto para uma luta, o que eu gostei desse personagem foi pelo fato dele ser um personagens menos "certinho" como a maioria dos personagens ecchi.

Sua irma sofre de dupla personalidade a primeira personalidade ela age como uma garota boa e gentil a segunda personalidade ela age de maneira violenta, possessiva e psicopática.

Na verdade tive pouco aproveitamento das obras do Kamiya Yuu. A obra que mais vi foi o anime de  Itsuka Tenma no Kuro Usagi. Mais eu gostaria de ver o No Game No Life animado, daria um bom anime para quem curte um ecchi sobrenatural.

Provavelmente vão ter alguns leitores que conhecem o mangaka, mas acredite grande maioria cita as obras dele e não faz a menor ideia de que o mangaka é brasileiro. Achei a postagem boa para abrir os horizontes dos leitores, mostrando que desde que você tenha um bom talento a apresentar, você pode trabalhar no Japão fazendo o que gosta.


Logico que a quantidade de pessoas ocidentais contratados é ínfima, mas empresas como a Shonen Jump já fazem concursos internacionais para mangakas, onde agora você pode enviar o quadrinho com idioma em inglês também.

Mas como o mangaka é de fora é normal ver algumas peculiaridades. A primeira é pouca referencia a mitologia japonesa. Tanto que Itsuka Tenma no Kuro Usagi ele pega referencia ao vampirismo, mas cria o seu próprio mundo com suas regras. Assim como Greed Packet Unlimited e No Game No Life em ambas as obras ele continua usando o elemento sobrenatural para dar liberdade dele fazer sua historia, mas como nas suas obras anteriores ele adiciona certas peculariedades.

Enquanto Greed Packet Unlimited ele coloca os personagens com nomes de celular, no No Game No Life ele é um sobrenatural que pega elementos de RPG Japonês. Enfim para finalizar a postagem vou fazer a velha pergunta de sempre: qual sua opinião?

Você gosta de western manga brasileiro como: Holy Avenger, Ledd e cia, ou não gosta desse tipo de quadrinho. O que você acha das obras de Kamiya Yuu? Consegue lhe agradar ou não sente nenhum interesse pelos mangas e light novels desse autor?



Matéria com o mangaka Kamiya Yuu. A matéria está com o idioma português (com japoneses falando o português errado).

This entry was posted in ,,. Bookmark the permalink.

9 Responses to Kamiya Yuu. O Mangaka brasileiro de ecchi que faz sucesso no Japão.

  1. Dna says:

    Muito Bom essa Matéria *------*

  2. The Fool says:

    Sucesso é algo muito subjetivo.
    Aqui mesmo no Brasil pouca gente conhece o trampo do Thiago e os poucos que conheceram não dão valia por uma série de razões.
    Pra mim o Kamiya Yuu é um simples empregado da indústria japonesa, um entre muitos outros, ele segue ordens.
    E por isso mesmo não merece tanto crédito.

  3. igor Amorim says:

    poxa nem acredito q ele era brasileiro ^^

    eu sou mto fã de ambos os animes q as historias dele conseguiu produzir
    estou no momento lendo daidenyuden

    realmente n imaginava o tamanho da empresa de animes pelo mundo^^
    desejo mto q ele continue tendo sucesso e q as historias dele continue me agradando xD

    eh certo q ele eh um empregado e segue ordens como mtos outros, porem o diferencial eh q ele conseguiu, n soh vencer o preconceito de mangaka extrangeiro, como tambem conquistar seu lugar no seu trabalho...
    algo q eu ainda estou lutando como engenheiro....

  4. gangrelion says:

    Que legal pra esse Kamiya Yuu! Infelizmente não gostei de nenhum dos trabalhos dele. Uma pena, bem que eu gostaria de apoiar mais o rapaz...

  5. GaiasKing says:

    Muito boa a matéria. Já ouvi falar de Itsuka Tenma no Kuro Usagi, mas não fazia ideia de que um brasileiro a ilustrava.
    Realmente, ele pode não fazer um sucesso arrebatador no mercado de animes ou mangás, como One Piece, ou no de Light Novels, como Fate/Zero, mas com certeza posso dizer que ele realmente é alguém digno de crédito.

    Kamiya Yuu, pelo que percebi, é mestiço (filho de uma japonesa, ou descendente, e pai brasileiro) e isso no Japão é muito alvo de preconceito. Mestiços lá são bastante mal vistos, ainda mais se o mestiço é brasileiro (se for de japonês/japonesa e americano ou europeu tá de boa), mas mesmo assim ele conseguiu uma serialização.
    Pode não fazer sucesso, mas romper uma barreira cultural tão forte dessa é digno de alguns elogios

  6. Kroniarcs says:

    Gostei desse post como leitor da holy avenger muito bom!
    Acabou de me inspirar a criar minhas HQs e fazer uma pesquisa sobre mangakas brasileiros,somente conhecia a Erica Awano!
    Desculpem o portugues pois meu celular nao coopera muito comigo!

  7. Boc says:

    Não vale, cara é descendente de japonês ai não é tão difícil, o dia que eu ver um negão desenhando mangá por lá vou acreditar.

  8. Boc.

    Tem um cara afro descendente que é mangaká no Japão. Seu nome é Felipe Smith, procura la no youtube que você encontra alguns videos com ele.

    E na boa, quem disse que é fácil vencer na vida? Basta ter talento e dedicação.

  9. Anônimo says:

    Poderia apreciar o trabalho dele, ate você ir pesquisando e notar coisas desvantajosas que as pessoas notam... eu sinceramente não confio nesse rapaz.
    Enjoa o quanto ficam babando na personagem Shiro de NGNL.

Leave a Reply