Mais uma obra de Kamiya Yuu ganha anime. E o hype negativo dos brasileiros.


O brasileiro de pseudônimo "Kamiya Yuu" desta vez vai ganhar anime de sua Light Novel "No Game, No Life" onde a mesma é um trabalho onde ele é o roteirista e desenhista da obra.

Em uma das postagens que fiz, mencionei que ele é um brasileiro que anda fazendo sucesso no Japão, onde isso foi visto como surpresa para muitos leitores do blog, mostrando que você assiste a vários animes e tem muitos que você gosta, mas não se importa em descobri quem foi o criador de determinada obra. Enfim você já deve ter pegado informação de vários blogs a respeito desse anime, então isso não chega a ser surpresa pra ninguém.

Porém o que achei importante debater foi a reação de muita gente (principalmente brasileiro) em relação ao fato dele ser brasileiro e estar ganhando anime no Japão. Teve aqueles que apoiaram muito isso, e estão felizes por uma obra feita por um brasileiro estar recebendo esse destaque. Enquanto tem outros que não levam tanta fé, afinal ele vive no Japão, não nasceu no Brasil então logo ele seria como um "japonês" e não deveria ganhar todo esse apoio.


Acho interessante esse tipo de comportamento que chamo de "desculpinha" que costuma ser usado pra qualquer situação. É aquele tipico caso da pessoa não aceitar estar num patamar abaixo de você. Exemplo: o cara passa na faculdade mais difícil do país, e logo falam "Ah, mas ele tem dinheiro, logo é mais fácil ele passar". O cara machuca o braço e sente muita dor "Isso não é nada, eu fraturei e quebrei o braço".

E tipo aquele cara brasileiro que morou no Japão e ganha dinheiro com animes "Ele não morou no Brasil, ele é como se foste um japonês, não merece tanto credito". Kamiya Yuu nasceu no Brasil e tem nacionalidade brasileira, só que mora no Japão desde pequeno e visita o Brasil quando pode. Sim ele morou mais no Japão do que no Brasil, mas o que tem demais nisso? Quantos brasileiros e estrangeiros passaram por situações similares e quantos deles se tornaram mangakas no Japão?

Tem vários brasileiros que trabalham no Japão e ganham a vida la, mas a diferença é que eles não se interessam em trabalhar com manga e light novel, onde acho isso compreensível. Imagine você com seus 12 anos indo morar no Japão, passa horas estudando para terminar o colegial e ir pra faculdade. Tem conhecimento e experiencia para ganhar um bom salario no Japão e viver bem. A ultima coisa que você vai pensar é virar mangaka, principalmente com nossa cultura que pouco valoriza os quadrinhos.


Não importa se o cara mora no Japão, ele pesquisou, estudou e ralou para chegar nesse patamar de ganhar dinheiro fazendo o que gosta. Ele tem seus méritos e merece chegar nesse patamar, afinal ele fez um trabalho que conseguiu agradar o publico alvo dele. Com a "desculpinha" o cara cria uma barreira para justificar que nunca vai conseguiu aquele patamar, só para que no fundo ele se sinta melhor com isso. E isso não só se aplica em animes e mangas, isso acontece no trabalho, na escola, faculdade e por ai vai.

Enfim é mais um anime que vai chegar para alimentar o nosso entretenimento. Se o anime de No Game, No Life vai ser bom ou ruim isso vai depender da pessoa que vai assistir. Admito que personagens extremamente moezados não fazem meu estilo, mas sempre existe algo que surpreende como é no caso de Watamote.

links:

Kamiya Yuu Ilustrações

Kamiya Yuu. O Mangaka brasileiro de ecchi que faz sucesso no Japão.

This entry was posted in ,. Bookmark the permalink.

3 Responses to Mais uma obra de Kamiya Yuu ganha anime. E o hype negativo dos brasileiros.

  1. Mesma coisa dos caras que ve um manolo num carro novo ou com uma motinha e diz com voz de nojo "ò o praiboy"... Mas não ve que o manolo se fode de trampar pra ter o carro e um minimo de conforto. Não compreende que quem trabalha pelo que deseja cedo ou tarde alcança o sucesso. É uma inveja muito negativa e reprimida. Triste isso. Não sabia desse autor. Mas qualquer cara em qualquer ramo que se esforça pra ter sucesso merece o parabéns.

  2. gangrelion says:

    Nossa! Não sabia que tinha gente tratando o cara assim! Agora me sinto até culpado por não ter gostado das obras dele antes mesmo de saber que ele é brasileiro. Me da até vontade de mudar de ideia e me tornar fã do cara só pra parecer que não to de descriminação...NOT!

  3. Isso ai é verdade... Uma pena que o povo não sabe ver o quanto o cara teve que se esforçar pra conseguir isso, morando no japão ou não. Nem sabia que No game, no life ia ganhar anime, mas por mim é uma ótima noticia, agora é esperar e ver se vai ser bom.

Leave a Reply