Tears to Tiara 2 e sua incrível arte.



Mais um jogo da Leaf sendo produzido em ajuda com a Aquaplus. Tears to Tiara 2 é o novo jogo da franquia que pretende atrair um novo público, apresentando assim uma história diferente do primeiro jogo. Uma das coisas que não mudou é que o jogo continua sendo um SRPG assim como no jogo anterior.

Infelizmente Tears to Tiara 2 não tem planos de sair para PC, ele vai ser um jogo exclusivo para PS3. E no momento não tem planos de sair um jogo em inglês no ocidente. Enquanto isso da pra notar uma grande evolução na arte dos personagens, além de CGs magnificas. Nos combates os personagens são representados em modo chibi (algo que não curto) nos combates.







Nos combates os gráficos dos personagens poderia ser melhor. Mas assim como muitas visual novels quando trabalham com personagens em 3D eles costumam representar em modo chibi. Isso deve ser uma forma de diminuir gastos, afinal o foco de uma visual novel é outro. Mesmo assim o novo jogo da franquia está bonito e já tem planos de sair em outubro deste ano.

This entry was posted in ,,. Bookmark the permalink.

5 Responses to Tears to Tiara 2 e sua incrível arte.

  1. Gaiasking says:

    Uma pena que não vá sair para o Ocidente, Tears to Tiara é um ótimo jogo.
    Agora, realmente foi uma alavancada incrível graficamente falando. Tears to Tiara 1 mesmo os personagens nas cut scenes eram um pouco deformados e não tinham tanta qualidade artística assim.

    Levando em conta que o PS3 domina esmagadoramente o mercado de consoles do Japão, creio que esse jogo venderá em torno de 50k - 100k

  2. Marco says:

    Ainda estou esperando o dia que os japas vão fazer algo no nível de Skyrim mas com gráficos de anime. Todo jogo deles parece ser classe B, tem um bando de CGs bonitos, mas é só. Mecânicas, efeitos visuais e os modelos 3D (quando tem) são sempre baixo nível.

    Obvio que fazer um jogo decente é caro mas se eles nunca tentarem não vão descobrir se vende ou não.

  3. jonhmaster says:

    Marco acho que você esta cometendo um equivoco. Jogos com bons gráficos a Square Enix já fez, alem que Skyrim não tem um gráfico tão bom assim.

    E outra pra que essa necessidade de os jogos japoneses terem que seguir os padrões americanos para serem considerados "bons". Jogo americano é uma coisa, cada um segue seu estilo e características.

    Alem que CGs é algo aplicado em visual novel, não é todo jogo japonês que usa imagens estáticas para demonstrar uma situação.

    E sobre mecânicas serem de baixo nível eu também discordo. RPG como Dragon's Dogma da Capcom, mostra que JRPG pode ter semelhanças aos ocidentais e ainda agradar bastante. Jogo de RPG de ação como Kingdom Hearts mostrou uma jogabilidade que tornou viciante e bem elogiada pela critica, onde o mesmo conseguiu agradar tanto orientais quanto ocidentais.

    Atlus que agrada na franquia Persona e Chaterine, recentemente lançou o jogo Dragon Crown que é um beat 'em up que vendeu bastante no Japão e esta sendo bem aguardado no ocidente.

    A Sega também não está parada e recentemente lançou o jogo Company of Heroes 2 que esta vendendo que nem agua no ocidente, mostrando que empresas japonesas também sabem fazer um bom jogo de FPS.

    Então Marco jogo decente o Japão já faz, só precisa procurar. E sobre Skyrim, eu ainda prefiro Dark Souls, que diferente do Skyrim não é um jogo facil e é bastante desafiante.



  4. gangrelion says:

    Meu Deus! Johnmaster se pronunciou sobre um comentário! É a primeira vez que vejo isso! Vc realmente deve odiar Skyrim! Anyway, concordo com você sobre os gráficos de Skyrim, mas eu tenho que admitir que a maioria dos jogos americanos atuais tem gráficos melhores que os orientais. Mas veja pelo lado bom: Os J-games ao menos tem uma estória bom...eles já saem ganhando por ter uma estória em primeiro lugar, a maioria dos jogos ocidentais não pode se gabar disso. Skyrim por exemplo: Vc é um Dragon born! Vc nasceu do nada e não tem passado, personalidade ou qualquer coisa! Agora Saia por ai pra catar berros! Ah! Tem essas side-quests por ai, mas elas são completamente irrelevantes pro main-plot.
    Uma coisa que me incomoda é que, a maioria dos jogos japoneses que vc falou ai são jogos feitos no estilo americano (guerra mundial, militares, mundo de fantasia muito simples a lá Fable, FPS, gráficos e física mais realista, etc. Não curto muito isso e da a impressão de que os japoneses estão tentando copiar os gaijins quando fazem um jogo como Dragon Dogma, que todos os japoneses (inclusive o Hideo Baba da serie Tales) consideram um "Skyrim wannabe". Também tem o Soul Sacrifice, que é MUITO americano, parece um Fable, so que ainda mais DARK! Queria que os asiáticos fizessem algo mais bonito, só que no estilo deles.

  5. Gaiasking says:

    Marco, achei seu comentário demasiadamente ofensivo. Lembre-se que Tears to Tiara especificamente não é um jogo para ser blockbuster, mas sim algo mais nicho, ou seja, específico mais para os fãs da série ou do gênero.
    O desenvolvimento de mecânicas de batalha 3D e de mundo livre é algo extremamente custoso e geralmente só é desenvolvido quando se tem alguma ideia de se exportar o jogo além mar.
    Porém, não creio que o estilo de batalha de Tears to Tiara 2 e de muitos outros RPGs do gênero sejam classe B. O foco em Visual Novels RPGs não é as batalhas, mas sim o desenrolar da história. O RPG vem mais como complementar, a fim de atrair a atenção de fãs desse estilo de jogo, aumentando assim o público a ser atingido.

    Skyrim é um típico exemplo de RPG ocidental, que muito difere com JRPGs. Apesar de ambos possuírem a mecânica de lvls e customização de arsenal, RPGs ocidentais tendem a trazer seres mais obscuros e elementos mais similares com os encontrados na Europa Medieval. JRPGs tendem a trazer seres mais fantasiosos, com design diferente da realidade e história prevalecendo sobre as batalhas, além do comum sistema de turnos nas batalhas. Por esses motivos, são estilos diferentes dentro de um mesmo gênero, acho que não podem ser facilmente comparados.
    Particularmente prefiro JRPGs como Persona e Final Fantasy a RPGs ocidentais como Skyrim, mas isso é mais uma questão de gosto.

    Concordo com você quanto a questão de desenvolver mais jogos com sistemas de batalhas avançados dentro do estilo JRPG, apenas não concordo que tenham que ser similares a Skyrim.
    Porém, no caso específico de Tears to Tiara, o jogo não entra com expectativas de ser um blockbuster, entrando na faixa dos milhões de unidades vendidas. O objetivo do jogo é vender em torno de 10k - 30k, portanto o custo do jogo também tem que ser enquadrado dentro deste limite. Creio eu que o único JRPG que se enquadra nos milhões de unidades comercializadas seja Final Fantasy e as séries Tales of da Namco, mas isso já é outra conversa. Seria ótimo para o estilo e para o mercado, sem dúvidas, o desenvolvimento de mais franquias poderosas, com avançados sistemas de batalhas, não apenas CGs bonitos. Porém, acredito que CGs belíssimos são indispensáveis para os JRPGs, uma vez que o foco, como disse, não é necessariamente as batalhas, mas sim a história

Leave a Reply